Avalie se o momento atual do seu ERP TOTVS se enquadra em um ou mais desses 5 erros, ou se seus processos ou rotinas são afetados por falhas da ferramenta.

Todo cuidado é pouco quando se fala em ERPs, considerando que são responsáveis por toda gestão, históricos de operações, controles, processos, comunicação, apoio na tomada de decisões estratégias e segurança de dados da empresa.

Essa visão cautelosa vale desde a sua aquisição até a implantação, manutenção da ferramenta, as atualizações, integrações com aplicações e sistemas complementares, entre outros. Qualquer passo em falso pode acarretar sérios prejuízos, sejam financeiros ou com a integridade tecnológica do software.

Baseados em nossa vasta vivência como maior e mais experiente consultoria especialista nas soluções TOTVS do mercado, listamos 5 situações que podem ser fatais e contribuir para a ruína do seu ERP.

Aproveite e avalie se o momento atual da sua tecnologia se enquadra em um ou alguns deles ou se seus processos ou rotinas são afetados por falhas da ferramenta. Confira:

1 – Projetos inflados

Partindo do princípio, ter um ERP não é apenas adquirir as licenças e seguir para a implantação.

Direcionar a implementação para uma consultoria com equipes qualificadas e experientes, faz total diferença para que o sistema realmente atenda as expectativas e demandas do negócio, garantindo a aderência e funcionalidade completa da solução, sem consumir mais tempo ou recursos financeiros que o planejado, ou seja, sem “inflar o projeto”.

Nesses casos, recomenda-se atenção redobrada e acompanhamento dos investimentos na implantação do ERP, para que se limite, em média, em até 9% do faturamento anual da empresa, incluindo desenvolvimentos de personalizações.

Um erro comum nos ERPs TOTVS é que, na tentativa de potencializar a ferramenta, sem um planejamento adequado e apoio de uma consultoria experiente, muitas empresas ultrapassam a faixa de investimento de 9% do faturamento anual, saindo da margem de segurança, passando a utilizar seu próprio capital de giro.

2 – Funcionamento incompleto

Seu ERP TOTVS precisa atender totalmente os processos base do seu negócio, como:

  • Faturamento;
  • Estoque;
  • Compras;
  • Financeiro;
  • RH, entre outros.

Isso é o mínimo que se espera da solução, mesmo porque, praticamente todo sistema de gestão nasceu da necessidade de controlar as operações base de um negócio. Caso o sistema não esteja implantado adequadamente, tornando ineficiente o controle das operações, poderá acarretar sérios problemas de gestão e segurança.

Um bom exemplo é o controle de estoque, sendo um dos setores que pode prejudicar seriamente a companhia. A falta de gestão, controle ou incoerência de dados, afetará as vendas, faturamento, compras e giro de produtos da empresa.

Outro exemplo clássico são as entregas das obrigações Fiscais. Teoricamente, toda e qualquer informação necessária para as entregas devem ser tratadas, integradas e extraídas do próprio ERP.

Se sua empresa utiliza ferramentas paralelas e complementares para as entregas das obrigações e processos fiscais, exigindo mais interações que o necessário, algo está errado e consumindo mais energia, tempo e recursos (incluindo financeiros), do que se o seu ERP estivesse funcionando como deveria. 

3 – Apressar a implantação

Assim que a consultoria realiza a análise, arquitetura e escopo do projeto, no documento são estimadas e detalhadas as horas, prazos e toda sequência do processo de implantação.

Apressá-lo, sem a segurança e garantia de entrega da consultoria quanto a mudança dos prazos, pode gerar falhas e erros, afetar a estratégia da implantação e prejudicar a assimilação, aproveitamento e experiência do usuário.

Conduzir o projeto conforme o determinado na documentação fornecida e seguida pela consultoria garantirá um mapeamento muito mais eficaz e completo dos processos e operações da empresa, facilitando o levantamento de soluções, desenvolvimentos e aplicações que aumentem a aderência e latência, para o sucesso das estratégias e crescimento da companhia.

Por mais que pareça que sim, a tecnologia não faz milagres! Acelerar o prazo estipulado pela consultoria, ou negligenciar as diretrizes táticas de implementação do projeto, não é uma boa decisão, e, na maioria das vezes, não trará os resultados esperados, além do risco de gerar retrabalho futuro.

Com o planejamento adequado é possível seguir o processo de implantação de forma gradual, integrando as operações e setores da empresa, permitindo que continuem operando sem interrupções, enquanto o sistema entra em produção de forma segura e eficiente.

4 – Falta de manutenções e atualizações

A implantação concluída não representa o fim e muito menos garante a isenção eterna de qualquer manutenção ou atualização do software. E isso não é privilégio apenas dos ERPs!

Qualquer sistema, aplicativo, aplicação, plataforma, etc, recebe manutenções e atualizações frequentes, que, além de agregar novas funcionalidades, inovações e melhorias tecnológicas, carregam correções de bugs, atualizações fiscais e legais, minimizando riscos que possam impedir o uso completo do potencial do software.

Além disso, os ERPs TOTVS contam com uma validade técnica chamada: Ciclo de Vida de Software, que abrange desde a liberação da nova versão do sistema, até o momento de sua expiração, com a periodicidade, previsões e diretrizes definidas pela Política de Ciclo de Vida da TOTVS.

O ciclo de vida de cada solução TOTVS encerra oficialmente o suporte à versão obsoleta e traz aos usuários do sistema melhorias e novas funcionalidades através das atualizações.

Outro agravante para empresas que não estão com seu ERP atualizado é que a TOTVS não realiza manutenções em versões expiradas do sistema.

Deixar de realizar manutenções preventivas e indicadas pela provedora, ou não atualizar o sistema a cada lançamento de versão ou release incremental, pode tornar o ERP obsoleto perante as inovações disponíveis no mercado, fazendo com que a empresa perca em competitividade, além de causar conflitos na integração com outras tecnologias complementares.

5 – Não intensificar a segurança dos dados

Sim, os ERPs são seguros, e a cada atualização, recebem mais camadas de proteção de dados. Porém, situações que culminam em ataques cibernéticos, vazamento de informações, perda e violação de dados, ainda podem ocorrer.

No ERP trafegam as mais valiosas informações de uma empresa, como: dados pessoais e de identificação de funcionários, clientes e fornecedores; informações financeiras; bancárias; senhas; históricos; negociações; campanhas; lançamentos; documentos; dados sigilosos; estratégias de vendas, etc.

Mesmo que o próprio sistema ofereça certa segurança de dados, é vital intensificar a proteção da aplicação por meio de soluções específicas e projetadas para isso, como firewalls e antivírus baseados em inteligência artificial, evitando ou minimizando os impactos de uma crise no seu negócio.


Essas são apenas 5 situações que podem ser FATAIS para arruinar o funcionamento adequado e melhor aproveitamento do seu ERP TOTVS.

Conforme afirmamos diversas vezes ao longo do artigo, contar com uma consultoria experiente, referenciada e com capacidade ampla em atendimento, garantirá a execução de todos os detalhes para o sucesso da implementação ou revitalização da solução TOTVS, seja Protheus, RM ou Fluig.

Por isso, antes de cogitar a substituição do seu ERP, seja por falhas, por não atender os processos da sua empresa, ou mesmo por considerar que a tecnologia está obsoleta, entre em contato conosco. Essa é a nossa principal especialidade: ajudar empresas a otimizar e extrair o máximo do potencial, inovação tecnológica e performance que seu próprio ERP TOTVS oferece.