Pode parecer fácil distinguir um do outro, porém, na prática, ambos podem se misturar, dificultando muitas empresas de separarem a tática da estratégia.

É muito comum, no ambiente corporativo, os termos “tática” e “estratégia” serem usados com o mesmo conceito, no entanto, esse é um erro que a maior parte dos empreendedores comete.

Isso acontece porque, na teoria, pode parecer fácil distinguir um do outro, porém, na prática, ambos podem se misturar, dificultando muitas empresas de separarem a tática da estratégia.

Em termos gerais, a diferença é realmente sutil, mas conhecer o real significado de cada uma ajuda a guiar o negócio de uma forma mais segura e eficiente. Desse modo, conhecer o significado de cada um, tanto na teoria quanto na prática, pode oferecer às organizações uma vantagem competitiva importante no mercado.

Primeiramente, por um lado, a estratégia tem diversas definições, sendo duas as mais importantes: a do teórico organizacional Kenichi Ohmae, que diz que a estratégia é uma medida que visa modificar o poder de uma organização em relação a sua concorrência, e a do economista Herbert Simon, que afirma que a estratégia consiste no conjunto de decisões que determinam o comportamento a ser exigido em um determinado período de tempo.

Sendo assim, a estratégia pode ser considerada um guia, um resultado do planejamento, ou seja, é ela que vai definir aonde a empresa quer chegar e qual será o caminho para sair do ponto atual e chegar a um ponto futuro. Diante disso, para que a estratégia seja bem executada, ela precisa, antes, ter um planejamento pré-definido.

Na prática, a estratégia é formulada pelos líderes do negócio, bem como executivos seniores, e utilizada por meio dos 5P´s da Estratégia, sendo: plano, pretexto, padrão, posição e perspectiva.

O plano é a etapa na qual as ações estratégicas serão pensadas de forma consciente e racional, para que a emoção não atrapalhe os resultados. O pretexto é a fase em que tentativas são criadas para confundir, de forma proposital, a concorrência.

No padrão, deve ser trabalhada o modo consistente ao longo do tempo, com persistência e repetição. A posição estabelece a relação entre a organização e o meio e como a empresa deve posicionar seus recursos para ajudar na interação com o ambiente.

E, por fim, é na perspectiva que a organização encontra sua forma de enxergar o mundo e se relaciona com a estratégia para alcançar um comportamento diferente no mercado.

Por outro lado, se a estratégia aponta para qual caminho escolher, dependendo de onde o empreendimento quer chegar, a tática é aquela que vai indicar os meios necessários para que a trajetória escolhida seja possível.

Com relação a definições, são duas, também, as mais relevantes: a do enxadrista russo Savielly Tartakower, que diz que a tática é a capacidade de saber o que fazer quando há o que fazer, e a do dicionário Houaiss, que considera que a tática é um método ou habilidade para obter bons resultados em empreendimentos, disputas, situações de vida, organização, alinhamento ou manobra hábil.

Ainda, a tática deve ser flexível, adaptando-se ao que a estratégia sugere, e se preocupar com um bom uso dos recursos da empresa, como pessoas, tempo, ferramentas, capital, entre outros.

Com isso, o conjunto de táticas, que é desenhado por especialistas nas diferentes áreas da empresa, os quais alocam os recursos disponíveis para melhor alcance de metas e projetos, faz parte do planejamento estratégico, enquanto a estratégia é o resultado dele.

Além disso, outro ponto que gera divergência entre ambos os termos é qual é mais importante para a empresa. A resposta para essa questão não aponta uma ou outra como mais relevante, mas sim uma complementando a outra, já que só é possível ter uma tática se e somente se houver uma estratégia bem clara antes.

Sendo assim, é fundamental que empreendedores e seus gestores entendam qual a diferença teórica entre a estratégia e a tática para que, na prática, ambos não sejam confundidos e não atrapalhem o desempenho final da organização.

Ao reconhecer o que cada uma faz, a empresa consegue aplicá-las de forma certa e, ainda, garantir uma vantagem competitiva no mercado, assim como compreender melhor como deve traçar a trajetória do caminho que quer alcançar e como alinhará seus recursos para fazer com que todos os objetivos almejados sejam cumpridos dentro das metas estipuladas.