A doença respiratória ultrapassou 125 mil casos confirmados em todo o mundo, e 234 no Brasil. O home office têm sido uma das opções adotadas por grandes empresas da área de TI para combater a propagação do vírus.

Com suspensão de aulas, cancelamento de grandes eventos, shows, teatros, cinemas, manifestações ou qualquer aglomeração que envolva mais que 500 pessoas, a pandemia global provocada pelo Coronavírus tem assustado grandes empresas em todo o mundo, incluindo as de tecnologia.

Desde o início do mês de março, diversas companhias de TI começaram a recomendar trabalhos home office e reuniões em videochamadas aos seus colaboradores, como ação preventiva para evitar a potencial propagação da COVID-19 – doença respiratória que ultrapassou os 125 mil casos confirmados em todo o mundo, e 234 no Brasil.

Seguindo as recomendações governamentais, a CRM Services, maior consultoria especialista TOTVS no Brasil, que já mantém o home office em sua cultura, criou um programa com ajustes operacionais rotativos para adaptar o formato de trabalho para todas as atividades da empresa.

De acordo com Alan Lopes, CEO da consultoria, não foi difícil ampliar o modelo de trabalho, para que atingisse toda a companhia. “Já trabalhamos com o formato home office desde a fundação da CRM Services, portanto, bastou alguns ajustes simples para que outros profissionais, que atuam em atividades que, normalmente exigem presença física, possam ser resguardados nesse momento”.

A empresa também intensificou suas rotinas de limpeza e higienização das áreas de trabalho e ambientes de acesso comum. “Já tínhamos alguns dispenser de álcool gel instalados em ambientes de grande acesso, mas como medida de prevenção, triplicamos a quantidade e seguimos diariamente orientando nossos colaboradores sobre os cuidados necessários para evitar a transmissão do vírus”, comenta Izabella de Matteo, gerente de Recursos Humanos na CRM.

COVID-19 e os impactos financeiros

Apesar de importantes, as medidas de prevenção geraram até o momento um custo global anunciado de cerca de 300 milhões de dólares, com impacto no varejo brasileiro em queda de 30%.

Alan destaca que o papel da liderança no contexto atual é desafiador. “Em momentos de crise, como o que estamos vivendo, é importante considerar em primeira instância, a proteção à vida e saúde de nossos profissionais, incluindo no âmbito emocional, para amenizar o stress e pânico, que impactam diretamente na produtividade das empresas”.

O CEO comenta ainda que o “choque cultural” provocado pelo cenário atual, trará de forma forçada, novas experiências para empresas culturalmente ultrapassadas.

“Guardadas as medidas para garantir a segurança populacional contra o Coronavírus, muitas companhias presenciam um momento de quebra paradigmas e preconceitos quanto ao trabalho home office. Vivemos um momento tenso, mas grandes lições podem ser aprendidas,” diz.

Sobre o Coronavírus ou COVID-19:

O Coronavírus, COVID-19 ou Sars-Cov-2 é o mais novo integrante de uma família já conhecida, formada por vírus que tiveram origem em animais.

A World Health Organization (WHO) disponibilizou um dashboard com informações atualizadas sobre o número de infectados pelo COVID-19 ao redor do mundo.

Sintomas

  • Tosse seca ou com secreção;
  • Febre acima de 37º;
  • Dificuldade respiratória aguda;
  • Dores no corpo;
  • Congestionamento nasal;
  • Inflamação na garganta;
  • Diarreia;

Formas de transmissão

  • Por saliva, catarro e gotículas expelidas pela boca (espirro, tosse e fala);
  • Por contato: beijo, aperto de mão, abraço;
  • Por superfícies não higienizadas: celulares, maçanetas, teclados, apoios em transporte público, botões, corrimão

Prevenção

  • Lavar as mãos até a metade do pulso, esfregando também as partes internas dos dedos e das unhas;
  • Usar álcool 70% para higienizar as mãos antes de encostar em áreas como olhos, nariz e boca;
  • Cobrir com um pano ao tossir ou espirrar, ou levar o rosto à parte interna do cotovelo;
  • Evitar multidões;
  • Usar máscara caso apresente sintomas;
  • Evitar tocar nariz, olhos e boca antes de limpar as mãos;
  • Manter a distância de dois metros de pessoas espirrando ou tossindo;
  • Limpar com álcool objetos tocados frequentemente;
  • Evitar cumprimentar com aperto de mãos, abraço ou beijo no rosto;
  • Evitar sair de casa caso apresente algum sintoma da gripe;
  • Utilizar lenço descartável quando estiver com coriza;
  • Procure um médico caso esteja com os sintomas indicados.

Seja como for, trabalhar de casa é a melhor opção para diminuir o contágio, por tanto, organize seu dia, mapeando as tarefas, possíveis dificuldades e o que é possível fazer para garantir produtividade e desempenho trabalhando de casa. Aproveite também os canais de comunicação digitais para realizar reuniões de equipe, traçar estratégias e entregas.

“Agora é hora de mantermos o bom senso e cuidar da saúde de todos. O home office não é mais uma opção,” finaliza Alan Lopes.